Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Após uma agitada e constantemente interrompida noite de sono, despertei, apto para mais um dia, a minha atenção virou-se para a actualidade e a verdadeira função da comunicação social, especilamente a televisiva.

 Para quem é espectador assíduo de jornais televisivos, nos diferentes canais, não terá dificuldade em adivinhar qual o assunto falado no momento exacto em que liguei a minha televisão, quando me dirigi à cozinha, até porque a maior parte do jornalismo televisivo, relativo aos telejornais e afins, em portugal, diria até cerca de 90% de todo o jornalismo, dedica-se a três temas muito concretos mas que dão muito que falar, e aparentemente nunca é demais repetir, nunca acrescentando nada de realmente novo (ou pelo menos é esta a mentalidade de quem dirige a sua publicação).

 
São eles (os Três Assuntos sem fim):
 

Primeiro de tudo e como não podia deixar de ser, o caso "Freeport" e companhia limitada (incluindo o nosso caro PM, José Sócrates, e os seus amigos ingleses e do Ministério do Ambiente), e parece que nunca é demais sublinhar que o PM está supostamente envolvido e que não seria admissível o Primeiro-Ministro envolvido num escândalo, agora em jeito de aparte, não deixa de ser curioso que todas as polémicas tendem para se acumularem para os anos de eleições.

 Segundo, e como não podia deixar de ser, a nossa cara Crise, que ja nos acompanha nos jornais televisivos do meio-dia, das 13 horas e no telejornal das 20 horas, ja à bastantes meses ocupando pelo menos 25 minutos da hora que o jornal televisivo tem de duração, como os seus repsectivos gráficos e estatísticas relativos à UE, nos quais para não fugir à regra, Portugal aparece sempre no final da lista (e em alguns casos aprece em primeiro, mas normalmente é nos que se referem ao défice e à taxa de desemprego), com as suas notícias constantes de encerramentos de empresas (a jeito de pensarmos que a mesma empresas fecha pelo menos 10 vezes, num espaço de cinco dias que assistimos ao telejornal), e claro as críticas ao nosso governo, que apenas lá estão porque parece que os portugueses adquiriram como dependência, criticar, insultar e ameaçar os políticos, é certo que é mais saudável que o tabaco, por exemplo, mas acho que não será também saudável de todo a nível psicológico.

 E para finalizar, algo que está muito na moda, a Criminalidade, que para certas pessoas durante certos períodos, aparentemente abranda, estranho que estes períodos coincidem com os períodos em que, ou a Crise, ou o caso "Freeport", lhe roubaram todo o protagonismo nos telejornais e por isso não tiveram oportunidade de exibir vezes sem conta a mesma noticia de  um assalto chocante e a respectiva gravação, não será isto um pouco de paranoia, e com isto não digo que a situação em relação à criminalidad em Portugal esteja melhor do que  que é retratada nos meios de comunicação, porque efectivamente não está, a questão é que uma grande dos portugueses são um público demasiado influenciável a nivel mental por todas as noticias,

 

Para finalizar, dos 10% de jornalismo, que não se refere a estes três assuntos, apenas cerca de 5% é publicádo nos canais televisivos, pelo menos em horário nobre, e o resto fica acumulado para um dia cobrir uma falha técnica quando acontecer. É importante também dizer que normalmente ao fim-de-semana e segundas-feiras o futebol e as suas habituais criticas a arbitros e polémicas, tiram parte do protagonismo ao caso Freeport, à Crise e à Criminalidade

 

Comentem

 



publicado por FR às 12:23 | link do post | comentar

mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

A Época Eleitoral e o pa...

Comunicação Social: Fazed...

Tempo da Liberdade

Tempos em que se responsa...

Uma nova geração de arbit...

As Cimeiras do G20

Os Três Assuntos sem fim

O Primeiro Post

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

25 de abril

comunicação social

criminalidade

crise

crítica

eleições

freeport

futebol

g20

gripe suína

h1n1

justiça

política

televisão

tribunais

todas as tags

Join the energy revolution - Greenpeace
blogs SAPO
subscrever feeds